terça-feira, 7 de junho de 2016

Cross Fit - Herói ou Vilão?



E aí? CrossFit é herói ou vilão? Ele é o herói e, ao mesmo tempo, o vilão. 
Calma, calma, vou explicar. Gosto de dizer que não existe exercício lesivo, e sim execução lesiva. Isto é, o que provoca lesões não é necessariamente o exercício em si, mas a forma como você o executa - por não respeitar a biomecânica do exercício; ou por causa do programa de treino que não está adequado para seu condicionamento; ou ainda por fazer/não fazer o que o profissional de educação física passou; entre outros. No caso do CrossFit vale a mesma premissa.
Eu mesma sou uma das que ficou com muito medo quando começou essa febre e alguns até acharam que eu era contra a modalidade. Pelo contrário,
sempre reconheci sua eficiência. Meu receio se pautava na responsabilidade do professor em aplicá-lo e na seriedade do aluno em fazê-lo.


Primeiro vamos enquadrar o CrossFit. Ele é um esporte:
-  De altíssimo rendimento;
- Que atua na zona de treinamento máxima;
- Que exige um nível de condicionamento e fortalecimentos muscular, ligamentar e tendinoso de pessoas que já treinam há algum tempo;
Que exige uma percepção corporal bem desenvolvida, ou seja, o aluno já deve possuir uma capacidade de executar os movimentos de forma correta e perceber se essa execução está dentro dos padrões mínimos necessários para a realização de tal movimento.

Aí você me pergunta: mas o que é realmente o CrossFit?

- Ele é uma modalidade esportiva. Não é simplesmente uma aula de ginástica, tipo aula de step, ou jump, etc
-É uma modalidade que já tem um campeonato para ela, e seus praticantes são vistos como atletas,
- É uma modalidade que utiliza de movimentos funcionais, ou de Treinamento Funcional

Assim, fica claro que o CrossFit é uma modalidade que realmente dá resultados, porém as pessoas que o procuram devem saber que terão que dar o seu máximo nas aulas. É por isso que dá resultados, porque o aluno deu o seu máximo, coisa que nem sempre faz em um treino de musculação ou outra aula.
Outro fator a considerar também é que ele não é para qualquer pessoa, e sim para pessoas que já tenham desenvolvidas algumas das características citadas acima, tipo força ligamentar e muscular.
E um terceiro ponto que quero ressaltar é que, como todo esporte, fazer musculação com o objetivo de melhorar o desempenho no CrossFit, paralelo às aulas de CrossFit é válido (se não fosse, os atletas de outras modalidades esportivas, tipo vôlei e futebol, não o fariam), pois com a musculação pode-se fortalecer os músculos diretamente envolvidos na execução dos exercícios da modalidade esportiva em questão, além de fortalecer também os chamados músculos estabilizadores do movimento e os auxiliares do movimento, ou seja, aqueles que não estão diretamente envolvidos no movimento, mas que são necessários para que ele ocorra de forma correta e com economia de resistência; além de diminuir os riscos de lesões.
Dessa forma, é importante que o professor de CrossFit seja um profissional graduado em educação física que tenha toda essa preocupação com a saúde do aluno, que saiba adequar a intensidade da aula à condição física e cardiopulmonar do aluno; além de saber reconhecer e respeitar as limitações físicas, ligamentares e musculares do aluno, direcionando-o para um treino de musculação paralelo às aulas de CrossFit, ou passando exercícios que revertam essa situação.


Abraço e até a próxima.